Relato de viagem – Transiberiana – Moscou

Em Moscou fiquei hospedada no Chicago Hostel. Não é ruim, mas já fiquei em hostels melhores… Segundo a lenda que me foi contada por outro brasileiro quando cheguei lá, o hostel é comandado pela máfia russa. Não duvido muito, porque morava uma caraiada de russos no hostel e de turismo mesmo só tinham uns 6 brasileiros, uns 4 colombianos e um argentino. No meu quarto, estava o argentino com os colombianos. Ele falava português, tinha uma casa no Rio, mas atualmente morava na Itália e os colombianos eram seus alunos e estavam assistindo competição de esgrima. Mais tarde, depois de voltar do passeio à Praça Vermelha, cheguei no hostel e conheci os brasileiros. Eles estavam fazendo Ciências sem Fronteiras em Budapeste, alguns eram de BH e tinhamos conhecidos em comum (esse mundo é mesmo muito pequeno…). Aproveitei a companhia deles e fomos para um pub/balada bem legal. A russaiada estava soltando a franga na dança e eu me achando conseguindo tomar shots de vodka pura sem fazer careta. A vodka aqui é mesmo DILIÇA e desce redondo e suave!

Muitas vezes as pessoas olham com espanto para mim quando vou viajar sozinha e pensam se não me sinto entediada ou só. Bem, basta ler acima e os posts anteriores para concluir por conta própria que brasileiro tem pra todo lado e além de nossos conterrâneos, também há muitos gringos muito gente boa por ai para nos fazer companhia! Viajar sozinha para mim é a oportunidade de conhecer mais a fundo os locais e outras culturas, pois querendo ou não, quando estamos acompanhados acabamos nos mantendo mais na zona de conforto e interagindo menos com outras pessoas. Claro que há os prós e contras de se viajar sozinha, mas para quem, como eu, prefere fazer turismo de verdade (e não só ir em busca de festas e baladas…) é uma ótima pedida.

Voltando ao assunto Moscou. Tudo em Moscou é muito grande. O centro de Moscou não é como no resto da Europa cheio de ruelas estreitas. Muito pelo contrário, as ruas são super largas e muitas até tem passagem subterrânea para atravessar de um lado para o outro. A Praça Vermelha é bem legal, mas esperava mais…Ela não é na verdade uma praça, é só um quadrado bem grande cercado pelo Kremilin, Catedral de São Basílio, Mausoléu do Lenin e um shopping e não tem bancos, fontes, jardins como praças comuns… A Catedral de São Basilio é bem bonita e gostei muito porque foge daquela arquitetura tipica de catedrais da europa que já cansei de ver em outros lugares. O Mausoleu do Lenin estava fechado no dia, então não entrei. O Kremilin também não entrei porque estava com o tempo muito corrido e preferi focar em ver mais coisas. Também visitei a Universidade de Moscou que é um prédio muito grande e muito bonito, o Izmailovsk Park/Market que é bom para comprar souvenirs, a Praça Lubyanka onde ficava a sede da antiga KGB e bati muita perna por vários lugares aleatórios de Moscou (eu adoro andar a esmo, apenas vendo como os locais vivem, etc). Fora isso também fui ao Bunker 42. Lenin construiu esse Bunker durante a Guerra Fria como refúgio para o caso de um ataque com bomba nuclear a Moscou. O Bunker está a 65 metros (18 andares) pro fundo da terra e tinha capacidade de abrigar até 2500 pessoas. Eu achei a visita bem interessante, porém com um preço muito salgado (RUB 1300 – quase 100 ronaldos).

Chegada do trem do aeroporto

Catedral de São Basílio (e meu gorro boniiiiiito)

Izmaylovsk

Praça Vermelha

Vestígios de comunismo por toda parte..

Bunker 42

As estações de metrô de Moscou são um passeio a parte e nisso o comunismo contribuiu muitissimo. Eles tem muitas estações e os trens passam, juro pro cês, de uns 30 em 30 segundos. É muito rápido mesmo o intervalo entre um trem e outro. As estações são lindas, com pinturas, estátuas, chão/paredes todas de mármore.

 

Estação de metrô em Moscou

Alguns comentários sobre os russos. As russas são realmente muito bonitas e super vaidosas e arrumadas. O frio congelando e elas lá todas bonitonas com suas botas de salto alto, saia, meia calça e sobretudo. Esse é o dress code da Russia pro dia a dia e eu obviamente estava totalmente em desacordo ao andar de bota Timberland, calça verde e gorro super cheguei da Bolívia. Não é de impressionar porque todo mundo na rua olhava para mim como se fosse uma aberração vinda de Marte. Já os russos, bem, não foram presenteados com o mesmo tanto de beleza que as russas rsrs Não vi nenhum russo de tirar o chapéu até agora. Fora isso, russas e russos são muito gente boa. Sim, muito gente boa!!! Antes de vir para cá, me disseram que eles eram muito frios, ficavam encarando, etc, mas comigo todos foram gente boa ao  extremo. Adorei mesmo o povo russo. Apesar de falarem inglês MUITO pior que o Joel Santana, eles se esforçam muito para comunicar e tentar ajudar. Quando estava perdida tentanto achar um bunker, parei uma moça que pegou o celular, olhou no Google maps, olhou no site, ligou no bunker, etc e me ajudou tanto que fiquei até sem graça. Nota 10 pro pessoal aqui!!

Moscou não é uma cidade muito preparada para turismo e realmente não há muitos turistas por aqui. Me desculpem o linguajar esdruxulo, mas essa porra de alfabeto cirilico é uma bosta do caraio!! Ficava maluca tentando usar minha memória fotográfica porque em lugar nenhum eles escrevem as coisas em letras romanas, ou seja, não tinha menor ideia de como era o som das palavras e em inglês então, só em sonho mesmo. Quando eu apontava algo e a pessoa respondia o nome da rua/lugar em russo eu não tinha a menor idea do que significava, porque o escrito era simplesmente 100% diferente do falado, então depois de um tempo até parei de perguntar pra economizar tempo rs. Fora isso, o pai dos turistas, meu querido Google Maps me f*** dessa vez. Antes de sair do hostel, eu coloque todos os trajetos que queria fazer e tirei os prints no celular para poder me locomover bem e fácil…Quando eu já estava caminhando há bastante tempo e precisei dar uma conferida foi que eu notei que os nomes das ruas estavam todos em letras romanas. Não serviu de bosta nenhuma… L

Eu só tive uma tarde, um dia inteiro e uma manhã para aproveitar Moscou, então com certeza faltou tempo para ver mais com calma. Não pude estender mais porque o trem que vai da Mongólia para a China só sai às quintas e domingos, e no meu esquema atual eu estou indo pegar o trem de domingo. Para ficar mais em Moscou eu teria que estender 4 dias para trocar o trem de domingo pelo da quinta feira seguinte, ai achei que era tempo demais e não valeria a pena.

Acabada a estadia em Moscou, é hora de seguir para o primeiro trecho da Transiberiana. Serão 27 horas de trem até Yekaterinburg. Vamo que vamo e até logo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

%d bloggers like this: